segunda-feira, dezembro 28, 2009

SAX4TETS 1

De alto a baixo do nosso rectângulo portuga, são já em número considerável os quartetos de saxofone com actividade regular. Formados no seio de bandas filarmónicas, big bands de jazz ou escolas de música estes grupos lutam com várias dificuldades umas das quais relaciona-se com repertório. Quem escreva para quarteto de cordas não abunda. Assim, arranjos "jazzy" (em português, ajazzados...) de temas conhecidos (estou a lembrar-me da "Pantera côr-de-rosa" ou do "Tico-Tico no Fubá") , de temas de jazz arranjados integralmente (ou seja, sem ponta de improvisação) e temas - óptimos, de resto - do Piazzolla constituem o repertório da maioria dos quartetos de saxofones em actividade no País. São arranjos que, fácilmente encomendáveis, garantem uma base de funcionamento estável e regular para um quarteto começar (e continuar ...) a trabalhar. E nem sequer são caros... São raras (por isso honrosas) as excepções a esta regra. O quarteto Saxofínia e os Artemsax têm o mérito de ter encontrado um lugar especial neste cenário. Não só pela longevidade mas também pela qualidade da proposta musical.
Os Saxofínia, com muitas composições a eles dedicadas e com um repertório que vai de Antonio Pinho Vargas a Bob Mintzer passando por Scarlatti são o grupo de referência nacional neste tipo de formação.Pena que estejam tão mal divulgados on-line, sem site próprio e com uma apresentação um pouco descuidada no site dos seus agentes. Os Artemsax focados na música de Carlos Paredes com um trabalho musical de qualidade e com cuidados de imagem e apresentação online são o outro exemplo de um grupo com ideias neste pequeno mundo dos quartetos de saxofone. Outros haverão que desconheço. Desaconselho a visita a http://www.qsporto[ponto]com/, site indicado pelo Quarteto de saxofones do Porto como seu. Tem virus. Nada que o avast não resolva.
Quartetos de saxofone cujo conceito coloque a improvisação num papel central são raros.Diria até que inexistentes. As experiências que conheço nessa área- Quarteto de Saxofones do Porto (versão 1.0) e UBU sax4tet - foram instigadas por este que vos escreve (your's truly) juntamente com o José Nogueira, no caso do 4teto de saxes do Porto e padeceram ambos de problemas de vária ordem dos quais seria interessante discorrer um dia destes. Por cá, e embora não falte domínio técnico nem saxofonistas, ainda não apareceu um quarteto que junte no mesmo parágrafo "improvisação" e "quarteto de saxofones"... ou já e eu ainda não reparei.... Se não reparei, por favor informem-me...
Assim, sendo este post e os próximos dedicados ao qaurteto de saxofones (o post podia chamar-se "os meus quartetos de saxofone preferidos") ,começo por um monumento, comparável ao Mount Rushmore ou á Sagrada Família. É isso, á sagrada família dos saxofones... Os World Saxophone Quartet (WSQ). Brutais. Domínio técnico absoluto sem os excessos virtuosisticos de que costumam enfermar muitas destas formações. A técnica ao serviço do que interessa...... Advinharam! ... da Música.


Julius Hemphill, Oliver Lake, David Murray e Hamiett Bluiett na formação original:


1 comentário:

Tiago disse...

Viva!
Eu tenho um quarteto que não tem tocado muito (é verdade) e que não faz da improvisação a sua base mas ela anda por lá:)

www.myspace.com/quartax

Abraço
Tiago Cordeiro

google-site-verification: googlefa1481a732b9d84f.html