sábado, março 01, 2008

A neurociência da improvisação







Mais um estudo sobre o funcionamento do cérebro enquanto improvisador.
6 pianistas de jazz sujeitam-se a um scan fMRI (ressonância magnética funcional) enquanto tocam escalas e enquanto improvisam. Mais interessantes do que as conclusões são as questões levantadas.
Artigo original aqui, resumo ali e crítica acolá



Sem comentários:

google-site-verification: googlefa1481a732b9d84f.html